O que falta ser dito sobre Steve Jobs?


Em Steve Jobs para jovens – o homem que pensava diferente, lançamento da editora Novo Século, a autora usa a biografia do empresário para incentivar jovens
  “Acreditar que os pontos vão se ligar em algum momento traz confiança para seguir seu coração, mesmo que isso o leve para um caminho diferente do previsto, e isso fará toda a diferença.”


   Inúmeras biografias sobre Steve Jobs já foram lançadas, antes e depois de sua morte em 2011. A maioria tenta dissecar a mente do homem de negócios, sua imaginação e as polêmicas em relação a ele e à empresa de forma complexa. Mas em Steve Jobs para jovens – o homem que pensava diferente, lançamento da editora Novo Século, a linguagem é outra.
A autora Karen Blumenthal, especializada em livros de não-ficção para jovens, inspirou-se no discurso de Jobs na formatura da Universidade de Stanford, em junho de 2005, para dar início ao texto. Isto porque, apesar de ter abandonado a faculdade após o primeiro semestre, o empresário depôs com propriedade aos formados que saiam da preparação profissional para tornarem-se de fato o que serão para o resto da vida.
  “A única forma de fazer um excelente trabalho é fazer aquilo que você ama”, disse.
Assim como o depoimento do empresário que emocionou o mundo naquela ocasião, Blumenthal divide o livro em três partes. Na primeira, “A jornada é a recompensa”, o início da caminhada de Steve Jobs, até ele tornar-se bem sucedido. Na parte dois, “Artistas de verdade entregam”, a autora fala de quando foi demitido da empresa que co-fundou, até seu retorno e transformação da Apple na empresa mais valiosa do mundo. Por fim, “E mais uma coisa…” fala sobre o câncer e a morte repentina de Jobs.
  A autora utiliza a vida do empreendedor para passar lições importantes aos jovens. Para ele, a demissão da própria companhia e o “fracasso” foram impulsos que levaram à criação da Pixar, hoje a maior companhia de animação do mundo, e a NeXT, posteriormente comprada pela própria Apple e embrião criativo para transformar a companhia na gigante de atualmente.
  Essa biografia também tenta mensurar a importância de contar e reconhecer a ajuda de outras pessoas. São lembradas personagens como a desconhecida professora de Jobs na 4ª série, Imogene Hill, e do famoso Steve Wozniak, xará, amigo e co-fundador da Apple. E mostra como a própria história de Jobs ilustra seu legado: a questão não é somente sonhar, é acreditar em seus sonhos e ter esperança de que algo grandioso irá acontecer.
Sobre a autora
  Karen Blumenthal é uma escritora aclamada pela crítica por escrever livros de não ficção para jovens. Jornalista, trabalhou por muito tempo no Wall Street Journal. Ela é autora de Bootleg: Murder, Moonshine, and the Lawless Years of Prohibition, que recebeu excelentes críticas, Six Days in October: The Stock Market Crash of 1929, e Let me Play: The Story of Title IX, que ganhou prêmios Jane Addams Children’s Book. Vive em Dallas, no Texas.

0 comentários

Muito obrigado pelo seu comentário! Não deixe de curtir as nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo!!