Ads Top

Rock, punk e hip-hop ganham destaque na edição de junho da Rolling Stone Brasil

Os novos projetos do Metallica, o adeus a Adam Yauch do Bestie Boys, e um arquivo histórico para comemorar os 35 anos de lançamento do único álbum dos Sex Pistols
   Uma das principais bandas de rock da atualidade, o Metallica se prepara para dar início a uma nova fase na carreira com direito a filme 3D e criação de um festival próprio, o Orion. Em entrevista a edição de junho da Rolling Stone Brasil, a banda conta tudo sobre os novos projetos. “Nossa intenção é fazer algo insano, que vai deixar as pessoas fora de si”, adianta o vocalista e guitarrista James Hetfield.

O Metallica tem agendada uma sequência de oito shows no México, onde apresentará um palco novo e extravagante que compõe o filme 3D da banda, desenvolvido em parceria com o cineasta Nimród Antal. “Eu quero que tenha enredo. Quero que este seja um filme tipo cult. É meio bobo ficar falando em profundidade quando eu ainda nem sei no que isso vai dar”, explica Hetfield.

Marcado para acontecer nos dias 23 e 24 de junho, em Atlantic City (Nova Jersey), o festival particular do Metallica, o Orion Music + More promete agitar os fãs da banda. Durante o show, o grupo vai apresentar o “Álbum Preto”, principal disco da carreira, só que de traz para frente. “A ideia de começar com as músicas menos conhecidas e terminar com “Sad but True” e “Enter Sandman” parece ser campeã. Você finaliza com a aposta certa, que é a primeira música”, afirma o baterista Lars Ulrich.

No evento, que contará com nomes como Arctic Monkeys e Avenged Sevenfold, a banda também irá revisitar, do início ao fim, o clássico “Ride the Lightning”, de 1984 – outro feito inédito.

O adeus a Yauch
 Em maio, a música sofreu um abalo: Adam “MCA” Yauch, primeiro rapper branco com credibilidade no hip hop, havia falecido. Fundador dos Beastie Boys, o músico sofria, nos últimos anos, de um câncer nas glândulas salivares que se espalhou e acabou tirando a vida dele no mês passado.

Sem Yauch, os parceiros de Beastie Boys, Adam Horovitz e Mike “Mike D” Diamond, não fazem ideia do futuro musical da banda. “Estou totalmente confuso”, diz Horovitz. “Totalmente entorpecido. Não sei o que fazer. É uma droga”, desabafa. Já Diamond consegue imaginar o velho amigo os impulsionando uma última vez. “Acho que Yauch realmente iria querer que tentássemos algumas coisas doidas que desejávamos fazer, mas nunca fizemos”, diz. “Ele diria: ‘Isso é exatamente o que vocês deveriam estar fazendo agora’”, finaliza.

Os 35 anos do punk dos Sex Pistols
 Na década de 70, uma nova cultura musical ganhava força. Nascido na Inglaterra, o punk conquistou os jovens da época e tornou-se sucesso. Um dos maiores ícones do movimento, o Sex Pistols arrastava multidões por onde passava.

Há 35 anos, em 1977, quando a banda lançava o primeiro e único álbum de estúdio, a Rolling Stone EUA rumava à Inglaterra para saber quem eram aqueles novos delinquentes musicais surgidos na terra da rainha. “O Sex Pistols surgiu porque nas ruas do Reino Unido estão dizendo: ‘O que é esse lixo sessentista? A molecada precisa de um senso de aventura, e o rock precisa encontrar um jeito de dar isso a eles”, definia Malcolm McLaren, empresário da banda.
Tecnologia do Blogger.