[Resenha]: O Melhor de Mim


I.S.B.N.: 9788580410495
Edição : 1 / 2012
Idioma : Português
Número de Paginas : 272




 Dawson e Amanda se conheceram na adolescência e se apaixonaram perdidamente. Não tardou para o relacionamento dos dois virar motivo de discussão entre Amanda e seus pais. Eles não adimitiam que sua filha - uma Collier - se relacionasse com um Cole! Dawson era membro da família barra pesada de Oriental, mas era diferente deles, (talvez) a ovelha negra da família (ou ovelha branca não é?), e Amanda sabia disso. Dawson trabalhava na oficina de Tuck, um senhor com fama de louco, uma casa caindo aos pedaços e um passado misterioso. A pressão imposta pela família de Amanda, e o medo que Dawson tinha de não conseguir dar para a amada a vida que ela realmente merecia, fez com que ele, de coração despedaçado, rompesse o relacionamento, despedaçando também outro coração.
 25 anos se passaram e Amanda e Dowson voltam à Oriental para o velório de Tuck, o homem que acolheu Dawson, acobertou todo o romance deles e acabou se tornando o único confidente dos dois.


 Juro que tentei (e queria) chorar após ler a última página de O Melhor de Mim. Queria expulsar de mim toda aquela melancolia, desatar aquele nó da garganta. Mas não consegui. Nem uma lágrima se quer rolou por minha face. Acho que estava anestesiada. 
 Não arrisco dizer que este foi o melhor livro que já li, mas sem dúvidas, foi a história mais linda que já passou pela minha prateleira. Não vou (e nem devo) dizer o motivo de tamanha perplexidade, e tristeza camuflada. Estragaria todo o encanto. Ou não. 
 Ano passado, quando eu nem pensava em ler este livro ainda, uma amiga (a Gabi) me contou toda a história: início, meio e fim. Confesso que quando comecei a ler o livro não lembrava mais de muita coisa, mas lembrava do principal. Ainda assim, isso não fez com que a história parecesse mais ou menos emocionante, porque o que nos envolve na verdade não é a história contada, e sim, como ela é contada.
 Apesar de sempre ter visto os filmes baseados nas obras do Nicholas Sparks, O Melhor de Mim foi o primeiro livro dele que eu li. Me surpreendi (positivamente!) com sua tamanha sensibilidade. Nicholas tem o dom de transmitir medo, emoção, raiva, alegria, tristeza - e fazer com que sintamos tudo isso - apenas por meio das palavras. 
 Enfim, apesar de triste, O Melhor de Mim é uma bonita história. Uma bonita história de amor. 
 Quando digo que um livro é o melhor passaporte de todos, acho que não estou errada! 

  
"O primeiro amor deixa marcas para a vida inteira."

0 comentários

Muito obrigado pelo seu comentário! Não deixe de curtir as nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo!!