Ads Top

Manual de Auto-Intensidade




               Eu, intenso, tenho atitude na mente, dependência de amor e coração aberto para o inesperado. E não mereço pouco! Nem tampouco ser entrelinha em certas histórias paralelas que estão sendo escritas. Desejo ter minha própria história, ser meu próprio enredo real, sem jogos ou chames, truques ou máscaras. Sou verdadeiro! Não tenho vergonha de querer, de decidir, de ir, de ser, de agir. Não tenho vergonha de parecer precipitado, não tenho vergonha de parecer desesperado por uma demonstração de afeto qualquer de qualquer pessoa que vier. Quero viver! E quero sentir que o outro também quer viver! Quero demonstrar, saborear, degustar cada momento, aproveitar cada gota de sincero sentimento desse imenso mar de desapego e ilusão contemporâneo.




               Sim, sou profundo, mas de forma alguma almejo me magoar. Aprendi a emanar estritamente o necessário para aqueles muitos que não conseguem suportar toda essa minha profundidade, e mudam. E fogem de mim. E desaparecem. E para os intensos como eu não há pior decepção que descobrir que se deu demais, para quem se doou de menos. Portanto, com propriedade, afirmo: é triste ser profundo em sua própria existência sentimental e ter que viver boiando na superfície dos sentimentos alheios. Não sei ser porto seguro de barco sem rumo. Se for para atracar, venha com certeza, me escolha, me permita ser quem sou, do exato jeito que sou, me permita doar o que tenho, pois sendo assim tenho muito à oferecer.
               Procuro nada mais que alguém que reme ao meu lado na contra mão da maré, quebrando as rasas ondas e esteja pronto para mergulhar comigo a qualquer momento, até atingir nossa própria imensidão, mesmo que a pressão nos sufoque e acabemos à deriva… Procuro alguém que sintonize na minha frequência, que esteja disposto a se entregar, a me entender e me espelhar. E se esse alguém não for capaz de compreender a densidade e a maturidade dos meus sentimentos, nunca vai poder se tornar a completude da complexidade das minhas emoções.
Tecnologia do Blogger.