Ads Top

Sim, meu corpo é estilo violão, algum problema?


             Sim, meu corpo é estilo um violão, algum problema? Ah, e não é flauta ou qualquer outro instrumento, é violão mesmo. E não visto 38, visto 43, algum problema? Não adianta me olhar com essa cara de "ah, essa menina é gorda demais, precisa emagrecer", pois gosto do meu corpo e o acho proporcional da maneira que está. Fico observando essas mulheres cheias de photoshop estampadas nas revistas de moda e não me importo nem um pouco, e muito, muito menos sinto vontade de me parecer com elas – olhe para mim, meu filho, quem gosta de osso é cachorro.

             Fala sério, as pessoas te acham gorda? Só faça rir dessa impressão ultrapassada. O que, para você, gostosa só é aquelas que possuem seios redondos e cheios de silicones? Bunda, barriga e coxas saradas? Vem cá, você conhece o padrão de beleza ou essa sua preferência é só mais um gosto tradicional de todos os garotos alienados pela mídia? Me poupe, já ficou com uma gordinha? Se você soubesse o quanto elas são gostosas quando querem e você aí, que nem um besta, correndo atrás daquela magricela chupada.

             Cada pedacinho meu é perfeito, e é como minha mãe sempre me dizia "Não se preocupe com seu peso, os meninos gostam de ter o que apertar à noite". E concordo plenamente com ela. Olhe mesmo para mim, queridinho, acha mesmo que vou ser uma vara pau siliconada? Nunca, meu amor, me amo como sou, com esse meu corpo de violão único e só meu. Mas, se o que você prefere são as modelos de revista, saia daqui e parta para outra, pois tipinhos como o seu está cheio no mercado.

             E você, sim, você mesmo que está lendo esse texto e se identificando. Mulher, não precisa mentir, sei que você se acha gorda, sei que quando você ver seu reflexo no espelho a única coisa que sente é vontade de sumir, de se isolar do mundo, por se achar diferente e anormal. Mas estou aqui para te dizer que cada pedacinho seu é perfeito, lá de baixo até o topo. Não queira ser uma barbie siliconada, não queira seguir o padrão imposto pela sociedade, seja você e ponto final. Se o carinha lá te acha gorda, mande-o ir embora, pois quem não quer não faz falta, lembre-se sempre disso.

             E, com licença sociedade, mas prefiro meu corpo de violão!


Baseado na música "All about that bass" da Megahn Trainor

Para mais textos deste tipo, venha me visitar: O Doador de Sonhos

Tecnologia do Blogger.