Ads Top

#TURISTANDO: Tirando dúvidas sobre o Canadá

 
 
  Olá Gleepers!

Aqui é a Nicole, e como prometido estarei tirando as dúvidas sobre o Canadá.

 “Como foi conseguir o visto? ” - Polly Teixeira, 23, Três Rios
Para morar aqui não é bem um visto que você tem que ter. O visto é para estudantes que vem passar um tempo, turistas, vistos de trabalho, enfim, em outras palavras, o visto é utilizado por pessoas que irão passar um curto tempo no país. No meu caso, como estávamos pretendendo morar, tivemos que entrar com um processo de imigração e esperar por 4 anos (parece que o tempo agora é menor) até que nosso processo recebesse uma resposta, uma aceitação ou recusa. O processo de imigração em si foi bem enjoado, tivemos que reunir vários documentos, e depois que fomos aceitos tivemos que fazer exames. Mas tudo valeu a pena.

“Como é a questão da mudança para ai? Os Estados Unidos têm que autorizar?” - Lilla Araújo, Boquim (Equipe Gleep)
Para mudar para o Canadá, como eu respondi na última pergunta, é necessário que o seu processo seja aceito. E quando vier para o Canadá é viável que se tenha o visto americano. Pois caso o seu voo pare nos Estados Unidos, você já terá o visto americano e não terá imprevistos. 
 
Como foi o último dia no Brasil?
O último dia que passei Brasil, no caso, o dia da viagem, foi muito esquisito. Enquanto arrumava as malas eu imaginava como seria desarrumar aquela mala na minha nova casa, em um novo país. E a caminho do aeroporto fiquei observando os pontos turísticos de Brasília e pensando o quanto sentiria falta daquele lugar. Também pensei na diferença que eu sentiria de me mudar de uma cidade nova e moderna, para uma antiga com construções centenárias.


Quais foram as maiores dificuldades enfrentadas quando se mudou para o Canadá? - Bruna Macedo, São Paulo (Equipe Gleep)
As principais dificuldades que enfrentei quando mudei para cá foram a língua e o clima. Como eu havia contado no ultimo post (caso não tenha visto clique aqui) eu tinha muita vergonha de conversar com as pessoas em inglês, pois eu achava que elas iriam me julgar. Mas conforme o tempo eu fui me soltando mais e agora eu converso tranquilamente e nunca fui julgada. Outra dificuldade que enfrentei foi a temperatura durante o inverno. Durante o verão ela chega a 30ºC, e durante o inverno ela varia de -10 a -20 ºC, chegando algumas vezes a -30 ºC.
"Você sentiu algum preconceito por ser brasileira?" - Bruna Macedo, São Paulo (Equipe Gleep
Não, sempre fui bem tratada aqui. E eles amam o Brasil, sempre me perguntam coisas daí e são doidos para conhecer. 
 
"Como foi a receptiva dos canadenses?" - Camila Lima, Salvador (Equipe Gleep)
Foi a melhor possível, quando cheguei no aeroporto de Toronto (o meu voo parava lá primeiro), os policiais da alfandega e mais algumas pessoas no aeroporto me disseram "Welcome to Canada" (Bem-vindo ao Canada). Na escola foi um pouco mais difícil, alguns eram receptivos e outros nem falavam comigo.
 
“Qual foi a coisa/costume que você mais estranhou? ” - Bruna Morais, 16, São Paulo
Eu estranhei algumas coisas por aqui. No Brasil, normalmente se coloca a mão na frente do nariz na hora de espirrar para não dar uma de chafariz, e contaminar as outras pessoas. Aqui também existe este cuidado, porém ao invés de colocarem a mão na eles colocam o cotovelo. É meio esquisito, mas faz sentido, afinal, de que adianta colocar a mão quando espirra, se depois você pode passar os vírus para um amigo ao cumprimentá-lo com a mão. Outro costume bem diferente, foi que aqui eles soam o nariz em todos os lugares. Irei explicar melhor, no Brasil normalmente quando se vai soar o nariz o normal e fazer isso fora da sala de aula e tentar ser o mais silencioso possível. Porem aqui eles costumam soar na aula, e fazer bem alto, o que me irrita muito. Eu não me incomodo com o fato deles soarem o nariz no meio da sala, mas é mesmo necessário fazer isso tão alto?
 
“Tem alguma restrição de trabalho ou estudo por você ser brasileira? - Bruna Macedo, São Paulo (Equipe Gleep)
Não, para estudar aqui não tem nenhum. Já para trabalhar eles pedem que o seu nível de inglês seja bom, ou seja, que você consiga falar com naturalidade.
 
“Qual foi a pior coisa que você já passou no Canadá - Bruna Macedo, São Paulo (Equipe Gleep)
A pior coisa que já passei aqui foi ter torcido o joelho na escola e ter sido levada de ambulância. Aqui se o seu caso não for tão grave o atendimento em hospitais demora. Eu fiquei quase 1 hora esperando o atendimento toda contorcida porque eu não podia mexer a perna, foi horrível. Fora a demora o atendimento foi muito bom, tanto na ambulância quanto no hospital. O motorista se preocupou em dirigir bem devagar para evitar que a maca sacudisse e meu joelho batesse em alguma coisa.

“Como foi para entrar na escola ai? Houve necessidade de alguma adaptação? ”- Bruna Macedo, São Paulo (Equipe Gleep)
No Brasil, eu já havia terminado o ensino médio, mas por ser muito nova, eu tive que voltar para o ensino médio aqui, para melhorar o inglês e também me acostumar com o sistema de ensino daqui. 

Aqui tem 2 tipos de escolas, públicas e particulares. E dentre as públicas tem outros 2 tipos, as públicas controladas pelo governo, e as controladas pela igreja católica, irei falar mais sobre isso no próximo post. Para entrar em uma escola pública católica eu tive que apresentar a certidão de batismo traduzida por um tradutor oficial, e tive que fazer uma prova básica de conversação em inglês, redação e matemática. Nada muito complicado, apenas o básico para eles saberem em que nível de inglês você está e te colocarem na turma de ESL, english as a second language (inglês como segunda língua) apropriada para o seu nível de inglês. 

Esse ESL, é como se fosse um curso de inglês para te preparar para entrar em uma sala de inglês normal. La a professora não e brasileira e normalmente nem fala uma segunda língua, mas ela vai te ajudar a melhorar o seu inglês. Cada nível dura 6 meses, quando fiz o teste eu fui direto para o DO, ou seja, passei apenas 1 ano no ESL. E eu gostei bastante, por mais que minha professora fosse daquelas bem puxadas, eu aprendi muito com as dicas dela.  Fora o inglês, eu não precisei de outra adaptação, foi tudo bem tranquilo.

"Você tem vontade de morar mais tempo por aí? ” - Stephanie Gomez, Natal
Eu tenho sim, estou vivendo uma experiência única com pessoas maravilhosas e não pretendo sair daqui.


É verdade que ai as pessoas não tomam banho todo dia?
É claro que sim, não há motivos para não tomar banho. As casas têm aquecedor, ou seja, na época do inverno elas ficam aquecidas e dá para tomar banho tranquilo.
   
 

“Se te falassem que daqui a um mês, você é obrigada a vir para o BR, o que você faria de legal para aproveitar seus últimos dias aí? ” - Ludmille Stander, Piraí do Sul, 13
Eu pegaria um carro e iria de Ottawa até o outro lado do Canadá visitando cada uma das cidades, Winnipeg, Vancouver, Toronto, entre outras.
Quais as principais diferenças entre Brasil e Canadá você percebeu? ” - Danyella Rodrigues, 21 anos, Praia Grande – SP
Eu percebi que aqui eles são muito educados e não dirigem com tanta pressa. Aqui a pessoa pode mal ter encostado em você mas ela já pede desculpas várias vezes. Nas ruas eles dirigem bem abaixo da velocidade das vias, e quando alguém está esperando na faixa para atravessar, eles param bem antes e só continuam depois que você já atravessou a rua toda.
 

É tranquilo conviver com o frio? É suportável? Como o Canadá lida com isso, roupas, ambientes aquecidos etc.- Danyella Rodrigues, 21 anos, Praia Grande – SP
Durante o verão ela chega a 30ºC, e durante o inverno ela varia de -10 a -20, chegando algumas vezes a -30ºC. Porém com o vento a temperatura chega a abaixar mais, conhecida como sensação térmica. Algumas vezes tem até tempestade de neve, ou freezy rain, que é a chuva que cai durante o frio e congela. Durante esse ou esses dias todas as escolas e faculdades fecham, porque e muito perigoso andar na neve que acabou de cair, porque ela é muito fofa e os carros acabam atolando, do mesmo jeito que e perigoso andar durante a freezy rain, pois o carro pode escorregar e você também. Então temos que esperar até que os caminhões passem tirando a neve e jogando sal. Por isso muitas vezes o governo pede que tomemos precauções para não termos frostbite, o que e a queimadura causada pelo frio e que pode levar a gangrena. Mas não se assustem com isso, se estiver bem agasalhada, com luvas, gorro, botas, cachecol, calcas e casaco aprova d’água, nada irá acontecer e você poderá se divertir na neve tranquila.
Dica: Uma maneira de saber se o casaco, luva, entre outros, e aprova d’água e assoprando para ver se o ar passa. Se o ar passar a água também passa. 

"Tem vontade de voltar? O que mais sente saudades do Brasil?" - Camila Lima, Salvador (Equipe Gleep)
Eu não tenho vontade de voltar a morar no Brasil, talvez visitar, mas morar não. Porque já estou tão acostumada com o clima daqui, e com o fato de que eu posso ir e voltar sem o medo de ser assaltada que por esses motivos eu não voltaria a morar no Brasil. Sinto muitas saudades da minha família e dos meus amigos, e também das frutas que não tem aqui, e as que tem não tem o mesmo gosto.

Essas foram algumas perguntas feitas por alguns amigos e leitores. Espero tenham gostado de conhecer um pouco desse país maravilhoso. Espero ter ajudado vocês, se precisarem de alguma coisa sabem onde me achar: Blog, Twitter, Facebook, Instagram, Youtube

Tecnologia do Blogger.