CINEMA,

Crítica de Animais Fantásticos e Onde Habitam, livre de spoilers

11:00:00 Camie 0 Comments


Harry Potter é um fenômeno que, sem dúvidas, marcou gerações. E, depois de cinco anos sem magia nas telonas, a Warner finalmente nos trouxe uma nova aventura relacionada ao universo do bruxinho que tanto amamos. "Animais Fantásticos e Onde Habitam" foi ambientado dentro do universo de Harry Potter, e utiliza o livro, escrito pela nossa querida J.K. Rowling, como base.

A história se passa em 1926, 70 anos antes dos acontecimentos de "A Pedra Filosofal". Nela, somos apresentados a Newt Scamander (Eddie Redmayne), um magizoologista inglês que chega em Nova York com uma maleta cheia de animais e criaturas mágicas. Após um encontro com a ex-auror, Porpentina Goldstein (Katherine Waterston), e o No-Maj (ou "trouxa", como os fãs de Harry Potter chamam os não bruxos), Jacob Kowalski (Dan Fogler), a maleta de Newt acaba sendo aberta e algumas das criaturas mágicas escapam pela cidade. Junto com a irmã de Porpentina, Queenie (Alison Sudol), o grupo parte para encontrar as criaturas antes que provoquem a exposição do mundo mágico aos non-majs.




O enredo e roteiro, que foi escrito pela própria J.K. Rowling, funcionaram de forma maravilhosa, alternando-se entre momentos mais leves e tranquilos, mostrando a busca do magizoolista Newt e o "trouxa" Jacob Kowalski (Dan Fogler) pelos animais mágicos que escaparam da maleta de Scamander e todo o mistério que nos fora apresentado por Percival Graves (Colin Farrel) e Credence (Erza Miller).

A história dos animais que se encontram totalmente perdidos na cidade de Nova York é algo leve e divertido. Nesse filme, revemos a imaginação maravilhosa de Rowling que conseguiu criar seres com habilidades peculiares e variadas e colocá-los em meio a um ambiente completamente novo e confuso para eles. Mas, como é de se esperar quando o assunto é a Rowling, a jornada acaba ganhando também um contexto político e sombrio que se mostra presente desde a primeira cena do filme: quando vemos manchetes de jornais semelhantes àquelas que vemos em "A Ordem da Fênix". Rowling coloca um poderoso antagonista e rival às sombras, como fez com Lord Voldermot nos 7 livros e 8 filmes da saga Harry Potter. O bruxo escolhido para provocar o caos é o poderoso bruxo Gerardo Grindewald (que, rapidamente, foi interpretado por Johnny Depp). Assim, o roteiro de Rowling constrói vários dramas secundários que nos leva ao Ministério da Magia americano (MACUSA) conduzindo uma investigação para encontrar o bruxo e manter o segredo do mundo bruxo, que é ameaçado neste filme.


Voltando a falar sobre os animais, eles são incríveis (ou, melhor dizendo, fantásticos). Algo interessante no filme é que cada animal tem uma característica distinta, que foram muito bem exploradas por Rowling. Mas o grande destaque do filme é direcionado para a infinita maleta de Scamander, que abriga diversos animais e funciona como um grande zoológico, com diversas divisões, formando diferentes habitats para cada tipo de animal. A apresentação dos animais, no entanto, poderia ter sido mais desenvolvida e aprimorada. Muitas coisas foram deixadas para trás. Aqueles que tiveram o contato com o livro “Animais Fantásticos e Onde Habitam” terão mais facilidade para se familiarizarem com os nomes e características dos animais, mas as pessoas que não tiveram a oportunidade de ler podem ficar mais confusas com tanta novidade mostrada.




O elenco foi muito bem escolhido e é muito bem entrosado. O Eddie Redmayne fez um ótimo trabalho como o bruxo excêntrico Newt. Podemos dizer que ele nasceu para fazer esse papel. O Eddie é o Newt, com seu cabelo ruivo desgrenhado e seu jeitinho tímido, sem saber como lidar com outras pessoas. Katherine Waterston também se saiu muito bem com seu papel. Ela interpretou muito bem uma auror do Congresso Mágico dos Estados Unidos da América. A Alison Sudol e Dan Fogler forão excelentes em suas atuações, trazendo o humor ao filme. Já Colin Farrel e Erza Miller fazem parte da parte mais obscura e misteriosa do filme, fazendo isso com total perfeição, claro. Johnny Depp fez uma aparição rápida no filme, mas que conseguiu tirar o folego dos fãs. 

Animais Fantásticos e Onde Habitam é uma história completamente diferente da que somos apresentados nos filmes de Harry Potter, por isso não podemos compará-los. Este filme veio com uma temática mais pesada, com problemas muito mais sérios que foram enfrentados pela sociedade bruxa e não-mágica da época. Mas, graças ao ótimo trabalho de J.K. Rowling como roteirista e seus personagens super carismáticos, temos mais uma oportunidade de continuar explorando o mundo mágico por mais alguns anos. E, agora com a presença de um público mais adulto e uma história diferente da apresentada nos livros e filmes de Harry Potter, pode essa a nossa chance de descobrir algo que pode ser tão especial quanto o conto do menino que sobreviveu.


Quer ficar por dentro de mais novidades? Não esqueça de nos acompanhar nas redes sociais: Facebook - Instagram - Twitter 

0 comentários: